Inadimplência no País tem queda de 7,5% em maio

Queda foi ocasionada pela elevação do emprego e a recuperação dos salários

Agencia Estado

14 de junho de 2007 | 16h48

A inadimplência do consumidor caiu 7,5% em maio, na comparação com o mesmo mês de 2006, conforme a pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 13, pela Serasa. Em relação abril, no entanto, houve alta de 6,8% da inadimplência da pessoas física em todo o País.De acordo com a Serasa, a queda do indicador na comparação anual foi ocasionada pela elevação do nível de emprego e pela recuperação dos salários. Mas, segundo os analistas, a inadimplência continua em um patamar elevado.O Indicador Serasa de Inadimplência engloba registros de cheques devolvidos, títulos protestados, dívidas vencidas com instituições financeiras, empresas do varejo, cartões de crédito e financeiras. Nos cinco primeiros meses de 2007, as dívidas com os bancos apresentaram a maior participação (37,5%) na inadimplência de pessoa física, com o valor médio de R$ 1.280,13.A segunda maior participação foi registrada com as dívidas com cartões de crédito e financeiras (31,2% e valor médio de R$ 341,34), índice inferior ao apontado nos cinco primeiros meses de 2006, que foi de 32,2%.A Serasa destaca ainda que os cheques sem fundos apareceram em terceiro lugar, com uma representatividade de 28,6% no acumulado de 2007, com valor médio de R$ 605,85. E, com 2,7%, aparecem os títulos protestados, com valor médio de R$ 830,19.Em relação ao mesmo período de 2006, segundo a instituição, houve um aumento de 11,3% no valor médio das anotações das dívidas com cartões de crédito e financeiras e de 7,6% no valor médio dos registros de títulos protestados. O valor médio dos registros de cheques sem fundos e das dívidas com as instituições financeiras também apresentou alta: 6,4% e 15,9%, respectivamente.

Tudo o que sabemos sobre:
InadimplênciamaioSerasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.