Inadimplência sobe para 4,43% em julho

Tendência é crescimento do número de endividados; CNDL e SPC esperam uma alta de 5% na inadimplência das pessoas físicas neste ano

Laís Alegretti, O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2014 | 02h38

BRASÍLIA - Puxada pelo aumento do atraso no pagamento de dívidas a empresas de água e luz, a quantidade de consumidores inadimplentes subiu 4,43% em julho na comparação com igual mês de 2013, segundo a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

O aumento ficou pouco acima da alta de 4,36% ocorrida no mesmo período de 2013. Na comparação com junho, a elevação foi de 0,42%, a maior variação para meses de julho desde 2010. A CNDL e o SPC afirmam haver uma tendência de crescimento dos endividados no segundo semestre: espera-se uma alta de 5% na inadimplência das pessoas físicas neste ano. O número, entretanto, é menor que os 7,5% projetados em junho.

A economista do SPC Brasil, Marcela Kawauti, explica que havia sido registrado um pico de alta da inadimplência e, agora, já pode ser vista uma acomodação. Mesmo assim, é esperado um crescimento do número de inadimplentes em 2014 na comparação com 2013. "Como a atividade econômica continua ruim, os juros altos e a inflação em patamar desconfortável, as pessoas não têm sobra de dinheiro para pagar dívidas."

O número de dívidas em atraso - que considera mais de uma dívida de uma mesma pessoa - cresceu 5,29% em julho ante igual período de 2013 e foi o maior avanço anual desde o início de 2013. Chamou atenção o aumento anual de 9,05% no número de dívidas em atraso por pessoas com idade entre 65 e 84 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
inadimplência, dívidas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.