Inadimplência tem maior patamar desde julho de 2004

A inadimplência dos consumidores na Região Metropolitana de São Paulo atingiu em março o maior patamar desde julho do ano passado, segundo Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), apurada pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio). De acordo com a pesquisa divulgada hoje por meio de nota à imprensa, o porcentual de consumidores endividados com contas em atraso saltou de 42% em fevereiro para 45% em março. Em julho de 2004 estava em 48%.A assessoria econômica da Fecomercio afirma que a alta pode ser considerada sazonal (influenciada por efeitos temporais), já que nos primeiros meses há um volume maior de gastos, como o pagamento de impostos e vencimento de dívidas referentes às compras de final de ano.Entre os inadimplentes entrevistados pela Federação , 34% afirmam que não vão poder honrar os compromissos no curto prazo. De acordo com os economistas da instituição, o dado mostra que os consumidores têm destino certo para a sua renda e resta um espaço muito pequeno para novas dívidas. A Peic foi lançada pela Federação em fevereiro de 2004 e é coletada mensalmente com cerca de mil consumidores. O objetivo da Peic é diagnosticar o grau de comprometimento de renda, endividamento e inadimplência das pessoas com dívidas como cheque especial, cartão de crédito, empréstimo pessoal ou prestações em geral.Consumidores endividadosO porcentual de consumidores endividados apresentou queda em março para o menor resultado desde o início da pesquisa da Fecomercio. Segundo nota da instituição, dos cerca de mil entrevistados no mês passado, 63% afirmaram ter dívidas. Em março, esse percentual foi de 61%.Os economistas da Federação ressaltam que o consumidor está mais cauteloso quanto ao futuro, como também mostrou o Índice de Confiança do Consumidor, da Fecomercio, divulgado na semana passada. "Por isso, resiste em contrair novas dívidas", avaliaram os profissionais da Fecomércio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.