Inadimplência volta a crescer em outubro

O volume de títulos protestados voltou a crescer em outubro, após 21 meses consecutivos de queda. Esse desempenho contrariou o comportamento normal da inadimplência, que é de desaquecimento nesta época do ano. No mês passado, o número de notas promissórias, duplicatas e carnês em atraso, emitidos por empresas e consumidores apresentou um aumento de 16,3% em relação a setembro. Na comparação com outubro de 1999, houve um crescimento de 7,9%, informa a SCI /Equifax. A interrupção na queda dos juros desde agosto explica, em parte, o crescimento do índice de calote, avalia o assessor econômico da SCI/Equifax, Walter Belik. Ele ressalta que os juros ao consumidor ainda são elevados e superam a marca de 100% ao ano nos crediários de lojas e financeiras. Outro fator apontado por ele é o elevado índice de desemprego, apesar da tendência de recuo nos últimos meses. "Também a massa de salários continua deprimida, o que agrava o quadro", afirma.Na avaliação de Belik, esse comportamento atípico dos índices de calote em outubro preocupa e é foco de incertezas quanto ao desempenho das vendas neste fim de ano. É que normalmente nesta época os consumidores e as empresas procuram colocar as contas atrasadas em dia para poder assumir novos compromissos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.