InBev diz que negócios da AmBev não serão afetados

A AmBev ficará de fora da operação de compra da Anheuser-Busch, afirmou hoje o diretor-financeiro da companhia belgo-brasileira InBev, Felipe Dutra. "A AmBev não faz parte da transação e não será afetada", disse em teleconferência com analistas, em Bruxelas.Segundo ele, a subsidiária brasileira continuará tocando seus atuais negócios na América do Norte e na América Latina. Em 2004, quando a belga Interbrew e a companhia brasileira se juntaram, a AmBev ficou responsável pelos ativos dessas regiões. Na época, a empresa teve de incorporar a canadense Labatt, criando polêmica com os acionistas minoritários, que saíram diluídos.O endividamento para a compra da Anheuser-Busch será feito pela InBev, sem efeito sobre a dívida da AmBev. O objetivo é levantar US$ 40 bilhões em financiamento com um grupo de bancos. Além disso, cerca de US$ 8,3 bilhões viriam da venda de ativos e também da emissão de ações.Havia um temor entre os especialistas estrangeiros de que a companhia poderia realizar um grande aumento de capital para bancar a operação. No entanto, Dutra afirmou que as ações são "uma moeda muito cara" para a empresa. Ontem, a InBev anunciou uma oferta de US$ 65,00 por ação da cervejaria norte-americana, em dinheiro, algo em torno de US$ 47,5 bilhões. A Anheuser-Busch é dona da marca Budweiser.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.