InBev reafirma desejo de se unir à Anheuser-Busch

A companhia de bebidas belgo-brasileira InBev enviou uma terceira carta ao presidente da norte-americana Anheuser-Busch, August A. Busch IV, reafirmando o desejo de se unir à companhia e formar a maior cervejaria do mundo. Na carta, a InBev volta a propor o pagamento em dinheiro de US$ 65 por ação da Anheuser e diz que obteve compromissos de financiamento e pagou cerca de US$ 50 milhões em taxas, demonstrando sua disposição em concluir o negócio."A reação do mercado à nossa proposta foi extremamente positiva", diz a InBev, na carta assinada pelo presidente-executivo da companhia, Carlos Brito. "Achamos que isso confirma nossa visão de que a proposta é o melhor caminho para se conseguir essa combinação transformadora para todas as partes", acrescenta."Para demonstrar nossa convicção nesta combinação, executamos cartas de compromisso para o financiamento e pagamos aproximadamente US$ 50 milhões em taxas para um grupo de financiamento composto por Banco Santander, Bank of Tokyo-Mitsubishi, Barclays Capital, BNP Paribas, Deutsche Bank, Fortis, ING Bank, JP Morgan, Mizuho Corporate Bank and Royal Bank of Scotland", diz a carta.O documento também relaciona uma série de benefícios que poderiam ser proporcionados aos acionistas pela união das duas empresas, mencionando a liderança do mercado mundial, o aumento da competitividade e a expansão global da Budweiser. A InBev voltou a dizer que a sede na América do Norte do grupo a ser formado e da marca Budweiser, carro-chefe da Anheuser, permaneceria na cidade de Saint Louis, atual sede da companhia norte-americana. Além disso, "a herança da Anheuser-Busch seria lembrada no nome da nova companhia combinada".A companhia belga reafirmou também que todas as cervejarias de ambas as empresas nos EUA continuariam abertas e garantiu "total apoio aos revendedores da Anheuser-Busch e ao sistema de distribuição tripartite". A InBev prometeu um "forte compromisso" com as comunidades em que a Anheuser opera e disse que os membros da administração da empresa seriam mantidos, em todos os níveis hierárquicos, e que os membros do conselho seriam convidados a integrar o conselho da empresa resultante."Continuamos à disposição para discutir nossa proposta com você, incluindo os elementos enumerados acima, mas achamos que o tempo é essencial", afirma Brito, dirigindo-se ao presidente da Anheuser. As informações são da Dow Jones.

HÉLIO BARBOZA, Agencia Estado

25 de junho de 2008 | 11h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.