INCC-M desacelera em 4 de 7 capitais, segundo a FGV

O Índice Nacional de Custo da Construção - Mercado (INCC-M) de agosto desacelerou em quatro das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Em São Paulo, o índice passou de 0,39% em julho para 0,16% em agosto, enquanto no Rio de Janeiro a variação saiu de 0,33% para 0,22% no período. Em Brasília, o INCC-M registrou alta de 0,17%, ante 3,41% registrados no fim de julho. Em Porto Alegre, o índice apresentou alta de 1,15% em agosto, depois de subir 2,03% em julho.

WLADIMIR D'ANDRADE, Agencia Estado

28 de agosto de 2012 | 09h10

Salvador (de 0,47% para 0,49%), Belo Horizonte (de 0,17% para 0,27%) e Recife (de 0,03% para 0,22%) registraram aceleração de preços na passagem de julho para agosto. Os itens que mais tiveram influência positiva no INCC-M foram ajudante especializado, cuja taxa saiu de 1,02% em julho para 0,47% em agosto; servente, que passou de 1,13% para 0,33%; vergalhões e arames de aço ao carbono, que desacelerou de 4,24% para 0,79%; projetos, que passou de 0,64% para 0,62% no período; e tubos e conexões de PVC, que acelerou de 0,25% em julho para 1,11% em agosto.

As maiores influências negativas, segundo a FGV, vieram de cimento portland comum (de -0,02% passou para -0,15% em agosto) e portas e janelas de madeira (de 0,65% para -0,29%). O INCC-M foi calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 de julho e 20 de agosto.

Tudo o que sabemos sobre:
construçãoINCC-Magostocapitais

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.