finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Incidente paralisa parte do pregão na BM&F

Operador atirou contra o próprio peito, foi atendido no ambulatório da Bolsa e encaminhado à Santa Casa

Redação e Agência Estado,

17 de novembro de 2008 | 15h53

Um incidente paralisou parte dos negócios da BM&F por volta das 15h30 desta segunda-feira, 17. Segundo a assessoria da BM&FBovespa, um operador de 36 anos da Corretora Itaú deu um tiro contra o próprio peito durante o pregão. Ele foi socorrido imediatamente no ambulatório da bolsa e transferido para a Santa Casa de São Paulo, que informou que seu estado de saúde é grave.   Em razão do tumulto, os negócios com índice futuro na roda foram parcialmente paralisados pelos próprios operadores, mas não houve decisão da BM&FBovespa para interrompê-los. Os negócios no pregão eletrônico continuaram normalmente.   Em nota, o Itaú afirmou que está dando "total assistência ao funcionário e a seus familiares". "Em profundo respeito ao ser humano, não comentaremos o fato", acrescentou o comunicado. A BM&FBovespa divulgou nota interna e também afirmou que não comentará o fato. Leia abaixo a íntegra do comunicado:   "Aos funcionários da BM&FBOVESPA   No dia de hoje, pouco após as 15h30, o operador de pregão da Corretora Itaú, P.S.S., 36 anos, tentou suicídio, na sala de Pregões Viva Voz, disparando, contra si, um tiro na região toráxica.   Ele foi socorrido imediatamente no ambulatório da Bolsa e transferido para a Santa Casa de São Paulo, saindo daqui consciente. A Bolsa não tem informações sobre os motivos desse gesto. Em respeito ao ser humano e sua família, a Bolsa não comentará o fato."   Texto atualizado às 19h27

Tudo o que sabemos sobre:
BM&F

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.