Indefinição de Lula inviabilizou leilão da Cesp, diz FHC

Ex-presidente afirma que leilão da companhia energético foi conduzido 'por regras que não são tucanas'

Elizabeth Lopes, da Agência Estado,

26 de março de 2008 | 12h56

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) atribuiu o fracasso do leilão da Companhia Energética de São Paulo (Cesp), conduzido pelo governo tucano de José Serra, ao marco regulatório do governo Lula. Questionado a respeito do cancelamento do leilão, que estava previsto para esta quarta-feira, 26, Fernando Henrique retrucou: "O leilão foi conduzido sob regras que não são tucanas. Na verdade, o problema é a estabilidade regulatória e a questão da duração das concessões (do atual governo). Não foi o governo tucano quem dificultou, foi a indefinição do governo Lula". Ao responsabilizar o marco regulatório do governo Lula pelo fracasso do leilão da Cesp, Fernando Henrique citou como exemplo a lei que prevê nos casos de privatização a renovação automática das concessões por um prazo de 30 anos, e disse também que há outra lei que diz outra coisa. "Esta é a confusão do marco regulatório", emendou. As afirmações de FHC foram feitas, nesta manhã, após ele participar de uma conferência na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) sobre os caminhos da regulação brasileira, que teve também como participante o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Jerson Kelman.

Tudo o que sabemos sobre:
CespEnergia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.