Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Indefinição quanto à divisão de riscos atrasa trem-bala

Indefinições com relação à repartição dos riscos estão atrasando a elaboração do edital do leilão que vai definir os empreendedores que vão construir e operar o trem-bala que ligará Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro. Pelas previsões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a minuta do edital da licitação internacional do chamado Trem de Alta Velocidade (TAV) deveria ter sido disponibilizada até o fim de outubro. A melhor expectativa, agora, é de que o edital seja colocado em consulta pública até o fim de novembro.

LEONARDO GOY, Agencia Estado

19 de novembro de 2009 | 19h10

O principal problema refere-se a quem vai assumir os riscos de uma eventual baixa demanda pelos serviços do trem-bala. "Pelo nosso modelo, o risco é do empreendedor, mas eles querem compartilhar (com a União)", explicou o diretor-geral da Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT), Bernardo Figueiredo. Apesar do atraso na liberação da minuta do edital, Figueiredo acredita que ainda é possível fazer o leilão do trem-bala até o fim do primeiro trimestre de 2010, como está previsto no PAC.

Tudo o que sabemos sobre:
transportestrem-balaeditalANTT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.