Índia adota taxas sobre exportações de arroz e aço

A Índia implementou taxas sobre asexportações de arroz basmati e alguns produtos de aço, além dereduzir mais impostos na terça-feira, quando o ministro dasFinanças apresentou uma série de novas medidas para melhorar osestoques de importantes commodities e ajudar a moderar ainflação. Mas Palaniappan Chidambaram afirmou ao Parlamento que aÍndia não enfrenta temores de uma falta de alimentos, já queespera grandes safras tanto de arroz quanto de trigo neste ano. Na terça-feira, o banco central adotou medidas paracombater a inflação e estimou um crescimento econômico de 8 a8,5 por cento no ano fiscal até março de 2009, pouco abaixo deum ano atrás. Chidambaram disse que o governo vai adotar uma taxa deexportação de 8 mil rúpias (200 dólares) por tonelada sobre oarroz basmati --utilizado principalmente em paellas-- mas vaireduzir o preço mínimo de exportação de 1.200 dólares portonelada para 1.000 dólares. A Índia já suspendeu asexportações de arroz não basmati. Os preços globais do arroz triplicaram neste ano devido aostemores de estoques apertados depois que produtores importantescomo Índia e Vietnã restringiram as exportações para garantirsua própria oferta. "As margens dos exportadores deste item têm subido comoresultado da força nos preços internacionais", disseChidambaram. Ele disse ainda que o aço e os produtores derivados têm umpapel importante no aumento geral dos preços, contribuindo paraa atual inflação. "Existe um caso de desincentivar a exportação de aço",disse ele durante um debate parlamentar sobre o orçamento para2008/09. "O objetivo de conter os preços internos não será atingidoa menos que ampliemos as ofertas internas e a disponibilidadede produtos intermediários e finalizados", disse ele. A taxa de exportação vai variar de 5 a 15 por cento,dependendo do produto. (Reportagem adicional de Mayank Bhardwaj e Unni Krishnan)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.