Índia é promovida a grau de investimento pela S&P

A agência de classificação de risco Standard & Poor?s informou na terça-feira que elevou os ratings de crédito da Índia para a categoria de investment grade. A ação reflete o crescimento em ritmo recorde da quarta maior economia da Ásia, o aumento de suas reservas e o aprofundamento do mercado de capitais. Com isso, o Brasil é o único país do grupo conhecido como Bric (que inclui ainda Rússia, Índia e China) que não alcançou essa nota. De acordo com as duas principais agências de classificação de risco do planeta - Moody?s e Standard & Poor?s -, o País precisa subir dois degraus para atingir esse nível. Segundo as agências, uma nação com investment grade tem baixo risco de dar calote. Portanto, o país tende a atrair mais dinheiro de investidores. Muitos analistas estimam que a nota será obtida pelo Brasil até o fim de 2008, mas o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) pode adiar a promoção do País a esse nível porque reduz o ritmo de queda do endividamento do governo. Na média, um país que recebe o investment grade tem uma relação dívida/Produto Interno Bruto (PIB) inferior a 40%. No anúncio do PAC, o ministro Guido Mantega disse que essa relação deve ir a 39,7% em 2010. ?Acreditamos que o Brasil será grau de investimento entre 2010 e 2011?, diz Roberto Padovani, economista do Banco West LB. Crescimento indianoA economia indiana cresceu 9% no período fiscal 2005-2006, graças em parte ao bom desempenho da agricultura, o que representa um aumento superior em seis décimos aos dados iniciais, segundo anunciado pelo governo nesta quarta-feira.A revisão, efetuada pela Organização Estatística Central, mostra um significativo aumento do Produto Interno Bruto (PIB) indiano em relação ao exercício de 2004-05, quando a economia cresceu 7,5%.Em 2005-06, o setor agrícola cresceu a um ritmo de 6%, 2,1 pontos porcentuais a mais que na estimativa anterior, enquanto a revisão do crescimento das manufaturas indica um aumento de um décimo, a 9,1%.A economia indiana manteve um bom desempenho no primeiro semestre do atual ano fiscal, com um crescimento de 9,1%, o que representa "o melhor dado desde as reformas econômicas de 1991", como afirmou emnovembro o ministro de Finanças indiano, P. Chidambaram.com EFE

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.