Índia eleva taxas de juro em 0,25 ponto para conter inflação

Estímulos dados para ajudar na recuperação da crise estão provocando elevação dos preços

Danielle Chaves, da Agência Estado,

20 de abril de 2010 | 07h26

O banco central da Índia elevou as taxas de juros e enxugou mais recursos do sistema bancário, retirando parte do estímulo monetário que deu impulso à recuperação econômica, mas agora está provocando inflação.

 

O Banco da Reserva da Índia (RBI, na sigla em inglês) elevou a taxa de recompra, ou a taxa que cobra para fazer empréstimos para bancos no overnight, em 0,25 ponto porcentual, para 5,25%, e a taxa de recompra reversa, ou a sua principal taxa de tomada de empréstimo, também em 0,25 ponto porcentual, para 3,75%, com efeito imediato.

 

O banco central também enxugou 125 bilhões de rupias (US$ 2,8 bilhões) em excesso de liquidez do sistema bancário, ao elevar o compulsório dos bancos em 0,25% ponto porcentual, para 6,00%.

O aperto monetário ficou em linha com o consenso do mercado, embora menos agressivo do que alguns economistas esperavam, mostrando que o RBI está equilibrando a necessidade de combater o aumento da inflação ao mesmo tempo que garante que não haja prejuízos à recuperação econômica.

 

Dez dos 15 economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam que o RBI elevasse as taxas de juros em 0,25 ponto porcentual. Os outros cinco economistas esperavam uma resposta mais forte, projetando alta de 0,50 ponto porcentual nas duas taxas. Segundo a pesquisa da agência, 11 economistas entrevistados previam que o banco central elevasse o compulsório bancário em entre 0,25 ponto porcentual e 0,50 ponto porcentual. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Índiataxa de juroelevação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.