Índia: ministro nega possibilidade de crise energética

O ministro da Energia da Índia, Piyush Goyal, negou neste domingo que o país esteja à beira de uma crise de energia elétrica, embora muitas das usinas domésticas estejam funcionando com baixo estoque de carvão.

AE, Estadão Conteúdo

07 de setembro de 2014 | 13h44

Goyal disse a jornalistas que as usinas estão enfrentando escassez de carvão, porque estão produzindo mais eletricidade para compensar a irregularidade nas chuvas de monções, que tem prejudicado a geração de energia por usinas hidrelétricas.

Entre junho e agosto, a geração por estações a carvão ficou cerca de 21% acima do observado em igual período do ano passado, disse o ministro. Mas a produção nacional e a importação de carvão não acompanharam, o que fez as plantas esvaziarem estoques.

"Você há de convir que, quando se produz 20% a mais de energia ao passo que o fornecimento aumenta apenas 5% ou 6%, os estoques estão destinados a cair", assinalou. Segundo ele, chuvas mais fortes e uma melhor gestão da oferta de carvão ajudarão a trazer os estoques de volta ao normal.

Das 100 usinas a carvão do país, 55 tinham estoques para menos de uma semana até 4 de setembro. Dessas, 28 tinham estoques para menos de quatro dias. Desde 2008, as plantas do país tiveram estoques de carvão para, em média, 10 dias no início de cada mês.

Goyal disse neste domingo que o governo pretende acelerar licenças ambientais para novos projetos de carvão e energia, comprar novos vagões de trem para transportar mais carvão e reformular o sistema de governo que determina quais minas podem abastecer quais unidades. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Índiaenergiacriseusinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.