Índia vai superar soma do crescimento de Brasil, Indonésia e Rússia, diz FMI

Diretora-gerente do fundo, Christine Lagarde avalia país como 'ponto brilhante em horizonte global nublado'

O Estado de S. Paulo

16 de março de 2015 | 09h40

Em visita à Índia, a diretora-gerente do Fundo Monetária Internacional (FMI), Christine Lagarde, afirmou nesta segunda-feira, 16, que a economia do país "é um ponto brilhante em um horizonte mundial nublado", e, até 2019, deverá dobrar de tamanho, superando a soma das economias de Brasil, Rússia e Indonésia. O Produto Interno Bruto (PIB) indiano, diz ela, também deve ultrapassar os da Alemanha e do Japão combinados.

Segundo Lagarde, o FMI espera que a Índia cresça 7,2% no ano fiscal de 2014, que acaba neste mês, e acelere para alta de 7,5% no ano fiscal de 2015, que começa em abril, levando o país ao crescimento mais acentuado do mundo. Enquanto isso, o PIB global deve avançar 3,5% em 2015 e 3,7% em 2016.

A diretora-gerente do FMI atribuiu o otimismo com a Índia a uma questão demográfica. "Mais da metade da população indiana tem menos de 25 anos e mais de 12 milhões de pessoas entram no mercado de trabalho por ano", disse. "Até 2030, esperamos que a Índia tenha a maior força de trabalho do mundo", acrescentou.

Lagarde também elogiou a política monetária do país, que, neste mês, adotou uma meta de inflação ao consumidor, cujo centro é de 4,0% ao ano, com faixa de tolerância de 2 ponto porcentuais para mais ou para menos. "Esta é uma medida bem-vinda, que dá base institucional para garantir estabilidade de preços enquanto a economia cresce", afirmou. Em janeiro de 2015, o índice de preços ao consumidor do país subiu 5,11% ante igual mês de 2014.

Quanto à economia global, Lagarde foi mais crítica em seu discurso. Disse que o crescimento continua "muito lento, muito frágil e muito desequilibrado" e destacou que, na zona do euro e no Japão, a expansão "permanece baixa". Além disso, acrescentou que os países considerados emergentes, passam por uma fase de desaceleração. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Tudo o que sabemos sobre:
PIBFMIÍndiaBrasilRússiaIndonésia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.