Indiana Hindalco compra canadense Novelis por US$ 5,9 bi

A maior produtora de alumínio da Índia, Hindalco Industries Ltd., disse neste domingo que chegou a um acordo para adquirir a Novelis Inc., em um negócio que avalia a empresa canadense em US$ 3,5 bilhões. O presidente da Hindalco, K.M. Birla, disse que isso dará à empresa indiana acesso a novas tecnologias e novos mercados e dobrará suas vendas para US$ 20 bilhões. Ele estava justificando os US$ 44,93 pagos por cada ação da Novelis, um prêmio de 16,7% sobre o preço no fechamento da sexta-feira. "Quando estamos adquirindo um líder mundial, temos que pagar um prêmio. É muito razoável", disse Birla a jornalistas, acrescentando que levaria uma década para construir ativos comparáveis, no valor estimado de US$ 12 bilhões. Ele disse que o custo da aquisição, incluindo a dívida da Novelis, de US$ 2,4 bilhões, será de US$ 5,9 bilhões. Essa aquisição é a mais recente de uma série realizada por empresas indianas e foi anunciada menos de duas semanas depois que a Tata Steel venceu o leilão pela metalúrgica anglo-holandesa Corus Group por US$ 12 bilhões. Birla disse que o conselho da Novelis aprovou a aquisição, que provavelmente será completada no segundo trimestre. Afirmou que a transação inclui condições específicas e garantias, o que dificulta o aparecimento de um novo interessado. A Novelis, que tem entre os seus clientes a Coca Cola, General Motors e Ford Motor Co., e o maior fabricante mundial de latas, Rexam Plc, vai acrescentar produtos de alta qualidade à carteira da Hindalco e isolar a empresa da volatilidade dos preços das commodities, disse. Com sede em Atlanta, a empresa foi criada há dois anos a partir de um desmembramento de ativos da gigante canadense do setor de alumínio Alcan Inc.. Desde então, vem lutando para se manter sozinha, já que não produz alumínio, mas seus contratos limitam o quanto dos custos ela pode repassar para os clientes. Birla disse que a Novelis é uma empresa eficiente, que não sofrerá cortes na mão-de-obra depois da aquisição e atribuiu as suas perdas totalmente aos contratos assinados no passado. Representantes da Hindalco disseram que a empresa vai financiar a aquisição tomando empréstimos de US$ 2,8 bilhões dos bancos, US$ 300 milhões de outra empresa do grupo Aditya Birla, que controla a Hindalco, e US$ 450 milhões de suas próprias reservas. As empresas indianas, que têm baixos custos de produção e fácil acesso a financiamento, vêm estudando o mundo todo em busca de aquisições e compraram empresas ocidentais de diversos setores, entre eles farmacêutico, tecnologia de informação e metalurgia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.