Sarahbeth Maney/The New York Times - 18/11/2021
Sarahbeth Maney/The New York Times - 18/11/2021

Saule Omarova, indicada de Biden para regulação bancária dos EUA, renuncia após oposição e críticas

Professora de Cornell incomodou republicanos e democratas moderados ao defender uma maior regulamentação sobre os grandes bancos e o aumento do poder de fiscalização do Federal Reserve

Agências internacionais, O Estado de S.Paulo

07 de dezembro de 2021 | 22h33

WASHINGTON - Saule Omarova, a indicada pelo presidente Joe Biden para supervisionar os grandes bancos americanos, pediu para retirar a indicação de seu nome nesta terça-feira, 7, em meio à oposição de republicanos e democratas moderados que procuravam bloquear sua nomeação, anunciou a Casa Branca.

"Aceitei o pedido de Saule Omarova para retirar seu nome da indicação", afirmou Biden, dizendo que procuraria um novo indicado. O presidente indicou no mês passado Omarova, professora de direito da Universidade Cornell, para Controladoria da Moeda, que supervisiona muitos dos maiores credores dos EUA, incluindo JP Morgan Chase e Wells Fargo.

No passado, Omarova já defendeu reduzir a participação dos grandes bancos no mercado financeiro e ampliar o papel o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) sobre os bancos de varejo. Suas declarações atraíram a oposição de defensores da indústria e de republicanos. Eles disseram que ela imagina um papel excessivamente grande para o governo que, segundo eles, prejudicaria os negócios, até mesmo para os credores comunitários, um eleitorado poderoso que fez lobby contra sua nomeação.

Um grupo de democratas moderados expressou em particular sua oposição a Omarova dias após uma polêmica audiência de nomeação em novembro, de acordo com pessoas a par das deliberações. A oposição por si só provavelmente acabou com suas chances de confirmação no Senado dividido igualmente.

Funcionários da Casa Branca defenderam Omarova, mas não comentaram a oposição democrata. A Controladoria da Moeda é uma agência independente do Departamento do Tesouro. Supervisiona cerca de 1.200 bancos com ativos totais de US$ 14 trilhões, cerca de dois terços do total do sistema bancário dos EUA. 

A Casa Branca tem lutado para encontrar um controlador que possa obter o apoio de seus aliados no Senado. Antes de nomear Omarova, a Casa Branca considerou pelo menos três outras pessoas para o papel, mas nunca as indicou. Atualmente, a agência é administrada provisoriamente por Michael Hsu, um ex-funcionário do Fed e está sem um chefe confirmado pelo Senado desde maio de 2020. /DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.