Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Indicação de relator para proposta da reforma na CCJ pode ser adiada

Felipe Francischini, presidente da comissão, avalia possíveis nomes, mas enfrenta resistências do colegiado; tramitação da reforma pode atrasar

Mariana Haubert, Renato Onofre e Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

20 de março de 2019 | 23h35

BRASÍLIA - A indicação do relator para a proposta de reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça pode ficar para a semana que vem. O presidente do colegiado, Felipe Francischini (PSL-PR), ainda avalia possíveis nomes, mas enfrenta resistências do colegiado e avalia o momento político.

De acordo com interlocutores de Francischini, o deputado está receoso com o clima político desta semana que tem sido considerado ruim pelos parlamentares e integrantes do governo. Outra coisa que tem pesado pelo adiamento do anúncio, é a falta de envolvimento dos líderes do governo no Congresso com a articulação pela definição do relator.

Fontes ouvidas pelo Estadão/Broadcast disseram que o parlamentar consultou os membros da CCJ sobre o adiamento da indicação do relator. Francischini havia anunciado que poderia nomear o escolhido na manhã desta quinta-feira, 21. Se a indicação ficar apenas para a próxima semana, a tramitação da reforma pode atrasar alguns dias.

Como o Estadão/Broadcast mostrou na terça-feira, 19, outra dificuldade enfrentada pelo presidente da CCJ para encontrar um relator para a reforma da Previdência é o receio dos integrantes da comissão de terem de assumir o ônus oriundo dos desgastes que surgirão na discussão da proposta em um momento em que o governo não consegue formar uma base de apoio no Congresso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.