Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Big techs

Banco Central vê Apple, Google, Facebook e Amazon como grande desafio de regulação

Indicação de relator para proposta da reforma na CCJ pode ser adiada

Felipe Francischini, presidente da comissão, avalia possíveis nomes, mas enfrenta resistências do colegiado; tramitação da reforma pode atrasar

Mariana Haubert, Renato Onofre e Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

20 de março de 2019 | 23h35

BRASÍLIA - A indicação do relator para a proposta de reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça pode ficar para a semana que vem. O presidente do colegiado, Felipe Francischini (PSL-PR), ainda avalia possíveis nomes, mas enfrenta resistências do colegiado e avalia o momento político.

De acordo com interlocutores de Francischini, o deputado está receoso com o clima político desta semana que tem sido considerado ruim pelos parlamentares e integrantes do governo. Outra coisa que tem pesado pelo adiamento do anúncio, é a falta de envolvimento dos líderes do governo no Congresso com a articulação pela definição do relator.

Fontes ouvidas pelo Estadão/Broadcast disseram que o parlamentar consultou os membros da CCJ sobre o adiamento da indicação do relator. Francischini havia anunciado que poderia nomear o escolhido na manhã desta quinta-feira, 21. Se a indicação ficar apenas para a próxima semana, a tramitação da reforma pode atrasar alguns dias.

Como o Estadão/Broadcast mostrou na terça-feira, 19, outra dificuldade enfrentada pelo presidente da CCJ para encontrar um relator para a reforma da Previdência é o receio dos integrantes da comissão de terem de assumir o ônus oriundo dos desgastes que surgirão na discussão da proposta em um momento em que o governo não consegue formar uma base de apoio no Congresso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.