Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Indicador de inadimplência da Serasa acusa alta de 7,5%

O índice de inadimplência do consumidor brasileiro avançou 7,5% de janeiro a outubro deste ano na comparação com o mesmo período de 2007, informou ontem a Serasa. A alta do Indicador de Inadimplência Pessoa Física em outubro alcançou 6,9% na comparação com mês equivalente de 2007, enquanto em relação a setembro o avanço representou 4,9%. O ranking das pendências financeiras no acumulado do ano ante o período de janeiro a outubro de 2007 continua liderado pelas dívidas com bancos, com participação de 43,2% no indicador. Em seguida, aparecem as pendências com cartões de crédito e financeiras (33,1%); os cheques devolvidos (21,5%); e os títulos protestados (2,6%). A dificuldade dos consumidores para honrarem seus pagamentos, na avaliação do assessor econômico da Serasa, Carlos Henrique de Almeida, vem dos altos níveis de endividamento, do peso da inflação sobre o orçamento doméstico e da pressão dos juros. Ele explica também que o hábito do brasileiro de recorrer a linhas de crédito mais caras , como o cheque especial, também contribui com os níveis de inadimplência. Ele destaca que a trajetória do indicador até o fim de 2008 dependerá do destino que o consumidor dará ao 13.º salário. "Depende se vai usar o 13.º para pagar dívidas, ou fazer novas", observou. O indicador de inadimplência da Serasa se baseia num "modelo estatístico de múltiplas variáveis" que considera variações em cheque sem fundo, títulos protestados, dívidas vencidas com instituições financerias e cartões de crédito, em cerca de 4 milhões de negócios por dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.