Indicadores antecedentes dos EUA sobem em julho

Uma medida sobre o futuro da atividade econômica dos Estados Unidos subiu em julho, com queda em novos pedidos de auxílio-desemprego e um aumento nas licenças de habitação, embora a leitura ainda tenha apontado para um crescimento lento à frente.

Reuters

17 de agosto de 2012 | 11h28

O Conference Board informou nesta sexta-feira que seu índice de Indicadores Antecedentes teve alta de 0,4 por cento, para 95,8, após um declínio de 0,4 por cento em junho. Analistas consultados pela Reuters previam uma alta de 0,2 por cento em julho.

Os menores pedidos por auxílio desemprego foram o principal motor do indicador, de acordo com o Conference Board. Além disso, o número de permisões para construir cresceu, o que pode indicar aumento do nível de construções.

O forte aumento nas vendas no varejo em julho deu fôlego à perspectiva de que o crescimento econômico vai acelerar no segundo semestre, apesar de continuar fragilizado. Indicadores sobre contratação e expansão da atividade vieram fracos, o que pode indicar mais estímulos por parte do Federal Reserve, o banco central dos EUA.

"Os indicadores apontam para crescimento fraco até o final de 2012", afirmou Ken Goldstein, economista do Conference Board. "Apesar disso, as vendas estão melhores do que se esperava, o que indica que os consumidores estão voltando a comprar", acrescentou.

(Reportagem de Jason Lange)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROEUAINDICADORESANTECENDENTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.