Indicadores de países membros da OCDE sobe em abril

O crescimento em algumas partes da economia global vai ganhar força nos próximos meses, mas apenas de forma moderada, enquanto a Rússia viverá uma desaceleração, de acordo com os indicadores antecedentes da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) de abril. Os indicadores de Brasil, China e Índia, que não são membros da OCDE, ficaram estáveis.

DANIELLE CHAVES, COM DOW JONES NEWSWIRE, Agencia Estado

10 de junho de 2013 | 07h53

O índice de indicadores antecedentes dos 34 países membros da OCDE subiu para 100,6 em abril, de 100,5 em março. Leituras acima de 100,00 sugerem que o crescimento econômico ficará em linha com a tendência, que varia de país para país.

Os dados de abril continuaram apontando para uma aceleração do crescimento nos EUA e no Japão, cujos indicadores antecedentes ficaram em 101,0 e 101,1 em abril, em comparação aos 101,0 e 100,9 em março, respectivamente. A OCDE também calcula que a zona do euro voltará a crescer no fim deste ano, já que houve um aumento no índice de indicadores antecedentes para 100,1 em abril, de 100,0 em março.

No entanto, os dados de várias economias emergentes sugerem que o crescimento continuará em torno da tendência e uma aceleração significativa não é esperada. Os indicadores antecedentes de Brasil, China e Índia permaneceram inalterados em 99,4, 99,7 e 97,3, respectivamente. Já a Rússia teve queda no índice para 98,5, de 99,1, apontando que o "crescimento está perdendo ritmo", segundo a OCDE.

Os indicadores antecedentes da OCDE são destinados a fornecer sinais antecipados de pontos de viragem entre expansão e desaceleração da atividade econômica e são baseados em uma variedade de dados que têm histórico de sinalizar mudanças na economia.

Tudo o que sabemos sobre:
OCDEindicadoresabril

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.