Indicadores têm diferenças

Os dois principais indicadores do mercado de trabalho são o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, e a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Algumas disparidades nos resultados das duas pesquisas devem-se às diferenças de metodologia em cada sondagem.

O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2011 | 03h05

No Caged, as empresas de todo o Brasil informam ao Ministério do Trabalho e Emprego as admissões, demissões ou transferências de empregados que tenham carteira de trabalho assinada. Já na PME, conduzida pelo IBGE, o levantamento é feito por pesquisadores, que vão a campo colher as informações sobre o emprego em seis regiões metropolitanas do País: Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.

O fato de terem abrangências diferentes também causa impacto no resultado. No entanto, o IBGE planeja uma mudança na sondagem sobre o emprego e a renda, para torná-la nacional. Técnicos do instituto já começaram a coletar dados sobre o mercado de trabalho em todas as regiões metropolitanas do País.

"Os pesquisadores já estão em campo desde outubro", disse Cimar Azeredo, gerente da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE. / D.A.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.