Índice de bolsas da Ásia fica estável em cautela com resultados

O índice que reúne bolsas da Ásiaoperou perto da estabilidade nesta terça-feira, com osinvestidores aguardando mais balanços de empresas nos EstadosUnidos depois que uma leva de resultados decepcionantesespalharam incerteza entre os investidores sobre a demanda doconsumidor. O movimento foi contido pela bolsa do Japão, que subiu porexpectativa acerca dos bancos norte-americanos. Às 7h45 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúnemercados da região da Ásia-Pacífico exceto Japão operavapraticamente estável, com alta de 0,01 por cento, aos 420pontos. "O que importa é que estamos num mercado em baixa e não hárazão para acreditar que isso irá mudar no futuro", afirmouAdnan Kucukalic, estrategista de ações no Credit Suisse FirstBoston. "Os bancos estão baratos e isso é muito bom, mas não hámotivo já sair correndo atrás deles." No Japão, cujo mercado não abriu na segunda-feira por contade feriado local, o foco em alguns resultados de bancos nosEstados Unidos que vieram acima do esperado e expectativa sobrebalanços trimestrais de grupos industriais fizeram a bolsa tersua maior valorização diária desde 29 de maio. O índice Nikkei, da bolsa de TÓQUIO, encerrou comvalorização de 2,98 por cento, a 13.184 pontos. As ações daHonda Motor subiram 5,3 por cento e puxaram o índice antes dosresultados da empresa na sexta-feira. Na bolsa de HONG KONG, o índice Hang Seng fechou estável,aos 22.527 pontos. Enquanto isso, a bolsa de SEUL perdeu 0,11por cento, para 1.561 pontos, puxado pelo setor de tecnologia,dependente de exportações e apreensivo sobre a forte queda nademanda do ocidente. A Samsung Electronics caiu 1,5 por cento e a LG Electronicsrecuou 3,1 por cento depois que os resultados da TexasInstruments e SanDisk vieram pouco abaixo das expectativas. XANGAI se desvalorizou em 0,53 por cento, TAIWAN perdeu0,28 por cento e CINGAPURA registrou baixa de 0,98 por cento.

KEVIN PLUMBERG, REUTERS

22 de julho de 2008 | 08h00

Mais conteúdo sobre:
BOLSAASIAMANHA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.