carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Índice de bolsas da Ásia sobe por setor de energia; dólar recua

As bolsas de valores da Ásia terminaram em alta nesta quarta-feira, conduzidas em grande parte pelas ações do setor de energia, que seguiram o avanço dos preços do petróleo. Já o dólar caiu para o menor patamar em quatro meses, conforme o otimismo sobre uma recuperação global e preocupações sobre a saúde fiscal dos Estados Unidos ofuscaram sua característica de ativo de menor risco.

KEVIN PLUMBERG, REUTERS

13 de maio de 2009 | 09h20

Títulos de governo também recuaram, à medida que investidores buscam ganhos maiores em outros instrumentos financeiros. Os futuros de 10 anos do bônus do governo japonês atingiram o nível mais baixo em seis meses, enquanto os Treasuries permaneceram sob pressão.

"O declínio do dólar que temos visto nas últimas semanas junto ao avanço dos mercados acionários parece refletir uma alocação de ativos em direção às ações", disse Ashley Davies, estrategista do UBS, em Cingapura, em uma nota a clientes.

Davies acrescentou que essa tendência pode aumentar de forma rápida caso mais investidores vendam títulos em meio a temores sobre uma inundação de oferta no futuro e ceticismo em relação às projeções do governo sobre corte de déficits orçamentários.

Sinais de incentivo aos gastos do consumidor e projetos de infraestrutura do governo, que incentivam a economia chinesa, também fortaleceram a confiança dos investidores de que a recuperação é um processo lento e que ainda há espaço para optar por ativos de maior risco.

"Nós estamos gradualmente aumentando a exposição ao que as pessoas considerariam 'risco' tanto nas bolsas como nos bônus", explicou Dennis Stattman, diretor de alocação do fundo global BlackRock.

A confiança no mercado foi sustentada por dados que mostraram que o ritmo de crescimento no setor varejista da China acelerou em abril, ajudando a compensar a fraqueza no segmento industrial.

O índice Nikkei, de TÓQUIO, subiu 0,5 por cento em uma sessão agitada, motivado por um avanço de 6,3 por cento nas ações da montadora Nissan, que previu um prejuízo operacional menor que o esperado. Por outro lado, as ações da Hitachi, maior fabricante de produtos eletrônicos do Japão, afundaram após a companhia ter apresentado uma projeção desanimadora sobre outro ano de perdas.

"O mercado foi impulsionado por cobertura de vendidos. A estabilidade dos mercado acionários asiáticos à luz de indicadores econômicos satisfatórios na China, e o iene recuando das máximas diárias frente ao dólar ajudaram o mercado a subir", afirmou Yumi Nishimura, gerente da Daiwa Securities SMBC.

A bolsa de TAIWAN ganhou 0,82 por cento, enquanto CINGAPURA avançou 0,33 por cento, XANGAI teve alta de 1,74 por cento e SEUL de 0,78 por cento.

Na contramão, HONG KONG recuou 0,55 por cento e SYDNEY caiu 0,54 por cento.

O setor de energia foi o que registrou os maiores ganhos dentro do índice MSCI que reúne as principais ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão. O indicador, às 8h35 (horário de Brasília) subia ligeiro 0,05 por cento, a 303 pontos, pouco abaixo do maior patamar em sete meses alcançado na segunda-feira. O MSCI acumula alta de 45 por cento desde o começo de março.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.