Índice de cheques devolvidos cresce 15,04% em julho

O índice nacional de cheques sem fundos aumentou 15,04% em julho ante o mesmo período de 2005, aponta levantamento divulgado nesta terça-feira pela Telecheque. Na comparação com junho de 2006, a companhia de análise de crédito constatou queda de 1,14% no indicador. De acordo com o estudo, o índice cresceu em 15 Estados brasileiros, na variação anual, entre os 19 pesquisados.Nesta base de comparação, os Estados do Rio Grande do Norte, Mato Grosso e Maranhão tiveram aumentos significativos, com variações expressivas de 288,03%, 156,72% e 90,50%, respectivamente. A forte alta pode ser avaliada quando estes números são comparados ao índice de São Paulo, que apresentou variação positiva de 13,21% sobre julho de 2005.Segundo a Telecheque, estes aumentos estão relacionados à economia dessas regiões. Para os analistas da empresa, a região Centro-Oeste, por exemplo, que tem como uma das principais atividades o agronegócio, tem passado por "um período delicado na sua atividade econômica", por causa da crise na pecuária e da queda do dólar, que afetou as exportações de grãos e demais produtos do agronegócio, o que foi refletido no índice de inadimplência dos consumidores locais.No confronto mês a mês, a companhia informou que a inadimplência nas compras com cheques caiu em nove Estados brasileiros: Amazonas (-17,65%), Pará (-3,72%), Ceará (-17,08%), Maranhão (-0,29%), Paraíba (-5,77%), Bahia (-4,67%), Minas Gerais (-9,51%), Rio de Janeiro (-6,11%) e Rio Grande do Sul (-6,60%).Na avaliação da Telecheque, a tendência de queda em julho ante junho era esperada, já que os indicadores de cheques sem fundos normalmente caem no segundo semestre comparados aos do primeiro semestre do ano, quando a inadimplência está bastante influenciada pela sazonalidade das compras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.