finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Índice de cheques sem fundos atinge maior nível desde 1991

Pesquisa nacional da Serasa revela que o volume de cheques devolvidos por falta de fundos (a cada mil compensados), no acumulado do ano de 2004, registrou aumento de 1,9%, quando comparado com o acumulado do ano anterior. Em 2004, foram registrados 15,8 cheques sem fundos a cada mil compensados, contra 15,5 no mesmo período de 2003. Os números de 2004, na relação do acumulado do ano, são os maiores já registrados desde 1991, ano em que foi criado o índice.Segundo o levantamento da Serasa, em 2004, foram compensados 2,106 bilhões de cheques, dos quais 33,4 milhões voltaram por falta de fundos. Em igual período do ano anterior, o número de cheques compensados foi de 2,246 bilhões, contra 34,9 milhões de cheques devolvidos.Embora o índice 15,8 seja historicamente o mais alto registrado para um ano, os técnicos ressaltam que a variação na relação de cheques devolvidos por mil compensados no acumulado do ano (1,9%) é a menor dos últimos cinco anos. Em 2000, em relação a 1999, a variação foi de 9,9%; em 2001, em relação a 2000, houve aumento de 31,1%; em 2002, em relação a 2001, o aumento foi de 2,7%; e em 2003, em relação a 2002, houve um aumento de 14,4%.Números de dezembroEm dezembro de 2004, a Serasa registrou queda de 3,0% em relação ao mês anterior (novembro). No décimo segundo mês de 2004, foram devolvidos 15,8 cheques sem fundos a cada mil compensados, enquanto novembro apresentou 16,3 cheques devolvidos a cada mil.De acordo com o estudo, em dezembro de 2004 foram compensados, em todo o País, 185,3 milhões de cheques, dos quais, 2,93 milhões devolvidos por falta de fundos. Em novembro do mesmo ano, foram compensados 179,6 milhões de cheques, dos quais, 2,92 milhões devolvidos por falta de fundos. Segundo os técnicos da Serasa, o recuo sazonal no índice de cheques devolvidos no mês de dezembro deve-se ao aumento da massa salarial decorrente do pagamento do décimo terceiro salário e das contratações temporárias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.