Índice de cheques sem fundos sobe 23,1% em julho ante 2004

Levantamento divulgado nesta terça-feira pela Serasa mostrou que o índice de cheques devolvidos por falta de fundos no País aumentou 23,1% em julho, na comparação com o mesmo mês de 2004. No período, foram compensados 154,4 milhões de cheques, sendo que 2,9 milhões voltaram por falta de fundos, o que correspondeu a um índice de 19,2 cheques devolvidos a cada mil. Em julho de 2004, foram compensados 174,7 milhões de cheques e 2,7 milhões devolvidos, com índice de 15,6 a cada mil.Na análise mês a mês, a empresa de análise de crédito constatou estabilidade sobre o resultado verificado em junho de 2005, quando foram compensados 162 milhões de cheques e 3,1 milhões devolvidos, com índice de 19,1 a cada mil. Há quatro meses, o indicador permanece no nível médio de 19 cheques a cada mil compensados.No acumulado dos primeiros sete meses de 2005 foi verificado comportamento de alta. Foram devolvidos 18,4 cheques sem fundos a cada mil, o que representou aumento de 15,7% sobre o mesmo período do ano passado - 15,9 cheques devolvidos por mil. Segundo a Serasa, 1,13 bilhão de cheques foram compensados entre janeiro e julho, dos quais 20,8 milhões voltaram por falta de fundos. No mesmo período de 2004, estes números foram de 1,22 bilhão e 19,4 milhões, respectivamente.Juros e preços altosDe acordo com a empresa de análise de crédito, os comportamentos de altas nos indicadores foram motivados pelas altas taxas de juros que, associadas ao maior endividamento e ao aumento dos preços administrados, comprometeram a capacidade de pagamentos das famílias ao longo desse período.A estabilidade verificada nas comparações mês a mês foi reflexo da atual conjuntura da economia brasileira. O balanceamento entre fatores positivos e negativos estariam contribuindo para a estabilidade do indicador."Nos últimos meses, tem-se observado, por um lado, que os empréstimos contraídos e as elevadas taxas de juros do crédito ao consumidor estão pressionando a capacidade de pagamentos das famílias. Por outro lado, a deflação recente dos índices de preços colabora para um aumento da renda disponível para o consumo", destacaram os técnicos da Serasa.A companhia, que iniciou esse tipo de estudo em 1991, informa que o levantamento divulgado é referente à segunda devolução de cheques, após resultado confirmado no Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos (CCF) do Banco Central, o que simboliza a inadimplência nesta modalidade de pagamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.