carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Índice de Confiança da Indústria atinge o melhor nível do segundo semestre

Alta de 1,6% do indicador em dezembro ocorre após queda de 1,1% registrada no mês anterior

Alessandra Saraiva, da Agência Estado,

28 de dezembro de 2010 | 08h24

O bom humor dos empresários sobre a situação atual de seus negócios e um otimismo quanto ao mercado de trabalho nos próximos meses ajudou a formar o aumento de 1,6% no Índice de Confiança da Indústria (ICI) de dezembro, anunciado  pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). No mês passado, o índice caiu 1,1% contra outubro.

O índice foi calculado a partir de dados obtidos em entrevistas com 1.196 empresas em dezembro. Segundo a fundação, a pergunta que avalia o grau de satisfação com o ambiente atual dos negócios, que há dois meses contava com respostas negativas, melhorou em dezembro. Este foi o quesito que mais contribuiu para o desempenho positivo do Índice de Situação Atual (ISA), um dos dois sub-indicadores componentes do ICI e que subiu 1,3% em dezembro. Isso porque a fatia de empresas pesquisadas que avaliam a situação atual dos negócios como fraca diminuiu consideravelmente de novembro para dezembro, de 13,0% para 4,7%.

Nas respostas sobre o futuro, a fundação informou que as expectativas dos empresários industriais para os meses seguintes se tornaram mais otimistas em relação ao nível de emprego. Do total de empresas consultadas, o porcentual de companhias que prevêem ampliar o contingente de mão de obra no trimestre dezembro-fevereiro saltou de 28,6% para 31,0%, de novembro para dezembro. No mesmo período, a parcela de empresas entrevistadas que pretendem diminuir o contingente de pessoal ocupado, no mesmo período, caiu de 7,8% para 5,7%.

Segundo a fundação, este é o maior nível do segundo semestre, e igual à média do ano para o indicador. Ainda segundo a FGV, com o resultado de dezembro, a média do ICI no último trimestre de 2010 , de 113,7 pontos, supera a do terceiro trimestre de 2010 (113,3 pontos) - mas ainda fica abaixo do primeiro e segundo trimestres deste ano, de 115,3 pontos e de 115,6 pontos, respectivamente.

O ICI é composto por dois indicadores. O primeiro é o Índice da Situação Atual (ISA), que mostrou alta de 1,3% este mês, após cair 0,3% no mês passado, nos dados atualizados na série com ajuste sazonal. O segundo componente do ICI é o Índice de Expectativas (IE), que apresentou taxa positiva de 1,9% este mês, após cair 1,9% em novembro.

Na comparação com dezembro do ano passado, o ICI registrou alta de 1,0% esse mês, elevação menos intensa do que a taxa positiva de 2,9% registrada em novembro, no mesmo tipo de comparação, nos dados sem ajuste sazonal.

Na comparação com dezembro do ano passado, nos dados sem ajuste sazonal, houve aumento de 3,9% e queda de 1,9%, respectivamente para o índice de Situação Atual e para o indicador de Expectativas, em dezembro deste ano.

Nível de Utilização de Capacidade Instalada

 

O Nível de Utilização de Capacidade Instalada (Nuci) da indústria com ajuste sazonal avançou em dezembro, e mostrou patamar de 84,9% este mês, após registrar nível menos elevado, de 84,5%, em novembro, segundo informou há pouco a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Ainda segundo a fundação, o desempenho de dezembro foi o maior em dois meses, e acima do apurado em dezembro do ano passado (83,8%)

Hoje, a instituição anunciou o Índice de Confiança da Indústria (ICI), indicador-síntese da Sondagem Conjuntural da Indústria de Transformação. A informação sobre o Nuci consta do levantamento. Segundo a fundação, o Nuci de dezembro atingiu nível idêntico à média do ano para este indicador.

Na série de dados sem ajuste sazonal, o nível de uso de capacidade em dezembro foi de 85,3%, patamar inferior ao apurado em novembro, quando atingiu 86,1%, nesta mesma série.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.