Índice de custo de vida desacelera em agosto, informa Dieese

ICV registrou variação de 0,3% no mês passado; nos primeiros oito meses deste ano, alta acumulada é de 2,53%

FLAVIO LEONEL, Agencia Estado

09 de setembro de 2009 | 12h10

O Índice do Custo de Vida (ICV) registrou variação de 0,30% em agosto na capital paulista, conforme informação divulgada nesta quarta-feira, 9, pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O resultado representou uma importante desaceleração de 0,19 ponto porcentual ante a inflação verificada em julho, quando o indicador subiu 0,49%. Nos primeiros oito meses de 2009, o ICV acumula alta de 2,53% e, nos últimos 12 meses encerrados em agosto, a taxa acumulada atingiu o nível de 3,75%.

Em agosto, os grupos Vestuário e Despesas Pessoais apresentaram quedas idênticas, de 0,28%, enquanto o grupo Educação e Leitura teve uma variação negativa de apenas 0,01%. No mesmo período, também foram observadas taxas positivas pequenas nos grupos Alimentação (0,08%), Equipamento Doméstico (0,14%) e Despesas Diversas (0,07%). O grupo Recreação, por sua vez, subiu 0,28%.

De acordo com o Dieese, Saúde, com alta de 1,03%, Transporte (0,50%) e Habitação (0,30%) foram os grupos que mais pressionaram a inflação no mês passado. Juntos, ele responderam por 0,29 ponto porcentual do cálculo total do ICV do período.

Segundo a instituição, o avanço no grupo Saúde foi determinado pelo subgrupo Assistência Médica (1,29%). A pressão originou-se na elevação apurada para o segmento Seguros e Convênios Médicos (1,49%) que, isoladamente, contribuiu com 0,13 ponto porcentual do cálculo da taxa de agosto, enquanto os demais itens deste subgrupo apresentaram impactos pequenos. No mesmo período, o subgrupo Medicamentos e Produtos Farmacêuticos registrou estabilidade.

Conforme o levantamento do Dieese, a taxa do grupo Transporte foi resultado tanto do reajuste ocorrido para a parte Individual (0,58%) como para a de Coletivo (0,32%). O primeiro subgrupo foi pressionado pela alta no álcool (4,09%) e o segundo pelo ônibus interestadual (3,31%). Na Habitação, a alta teve foi de 0,30%, com taxas distintas nos subgrupos Locação, Impostos e Condomínio (1,03%); Operação do Domicílio (-0,11%) e Conservação (0,58%). No primeiro subgrupo, a Locação (2,50%) foi a grande responsável com contribuição de 0,07 ponto porcentual no cálculo da inflação.

Tudo o que sabemos sobre:
inflaçãoDieesecusto de vidaSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.