Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Índice de custos de construção sobe 0,28% em novembro, diz FGV

Seis capitais apresentaram aceleração nas suas taxas de variação do INCC-M na passagem de outubro para novembro: Salvador, Belo Horizonte, Recife, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo

Daniela Amorim, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2017 | 17h17

RIO - As elevações de preços dos materiais da construção civil contribuíram para a aceleração do Índice Nacional de Custo da Construção - M (INCC-M) em novembro ante outubro, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). O INCC-M passou de uma alta de 0,19% em outubro para um avanço de 0,28% em novembro.

O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços subiu 0,61% este mês, após uma alta de 0,44% em outubro.

No grupo, o componente Materiais e Equipamentos registrou variação de 0,75% em novembro, contra um aumento de 0,54% no mês anterior. Destaque para materiais para estrutura, que passaram de 0,92% em outubro para 1,21% em novembro.

++Empresa vê recuo de 60% no aluguel de equipamentos

A parcela relativa a Serviços passou de uma taxa de 0,08% em outubro para aumento de 0,09% em novembro. Houve aceleração no item refeição pronta no local de trabalho, que saiu de -0,17% em outubro para 0,48% em novembro.

O índice referente à Mão de Obra ficou estável em novembro (0,0%), depois de ter registrado um ligeiro recuo de 0,01% em outubro.

Estados. Segundo a FGV, seis capitais apresentaram aceleração nas suas taxas de variação do INCC-M na passagem de outubro para novembro: Salvador, Belo Horizonte, Recife, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo. Em contrapartida, Brasília registrou variação menos acentuada que no mês anterior.

++Brasil tem 20,6 milhões de lares sem rede de esgoto e dois milhões sem água

Pressionaram o INCC-M de novembro os itens vergalhões e arames de aço ao carbono (5,51%), cimento Portland comum (1,05%), condutores elétricos (2,47%), materiais elétricos (1,52%) e metais para instalações elétricas (0,64%).

Entre as principais quedas estão elevador (-0,16%), ferragens para esquadrias (-0,27%), produtos de fibrocimento (-0,49%), taco/tábua corrida para assoalho (-1,89%) e rodapé de madeira (-0,75%). O INCC-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

Tudo o que sabemos sobre:
Construção CivilIncc-fgv

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.