Índice de endividamento em SP recua em outubro

O índice de endividamento recuou e a inadimplência manteve-se estável na capital paulista em outubro, informou hoje a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). Com relação ao endividamento, a queda foi de três pontos porcentuais ante setembro, ficando em 56%. Na comparação com outubro do ano passado, o declínio foi maior: de seis pontos porcentuais. Já o nível de inadimplência permaneceu em 38%.Segundo a pesquisa, há mais paulistanos com dívidas na faixa de rendimento entre três e 10 salários mínimos, 62%, embora esse índice tenha recuado quatro pontos em relação ao mês de setembro. Já entre os consumidores que ganham acima de 10 salários mínimos, o índice é de 40% ante 47% de setembro. A Peic mostra ainda que 47% das pessoas com renda até três salários mínimos estão inadimplentes, contra 38% dos que ganham de três a 10 salários mínimos e 28% entre os que possuem renda acima desse patamar.Quando analisado o tempo de atraso das dívidas, constatou-se que para 28% dos consumidores o prazo é de até 30 dias, enquanto para 26% o período é de 30 a 60 dias. Para 15%, o atraso é de 60 a 90 dias e 30% consideram prazos superiores a 90 dias. Quanto aos motivos para a inadimplência, o desemprego foi apontado por 30% dos consumidores, seguido pela falta de controle financeiro (28%). O cartão de crédito continua sendo o grande vilão das dívidas, segundo 45% dos consumidores, seguido pelos carnês (24%).

EQUIPE AE, Agencia Estado

18 de outubro de 2007 | 19h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.