Índice de falências decretadas em fevereiro sobe 52,8%

O índice de empresas que não conseguiram saldar suas dividas nos prazos estabelecidos no País subiu 52,8% em fevereiro deste ano em relação a igual período de 2003. A informação foi divulgada hoje pela Serasa, empresa especializada em análises econômico-financeiras. Segundo os dados, em fevereiro de 2004 foram decretadas 324 falências, com média diária de 19,1 documentos, enquanto que no mesmo mês do ano passado foram 251 falências, uma média de 12,5 papéis. A redução do volume de vendas, os juros altos e a elevada carga tributária são alguns dos fatores que influenciaram no crescimento do número de falências decretadas em fevereiro de 2004, apontam técnicos da Serasa. Essas questões, segundo eles, evidenciam as dificuldades que as empresas tiveram de gerar e administrar recursos. O porcentual de empresas que pediram falência em fevereiro de 2004 subiu 2% ante o mesmo mês de 2003. No segundo mês deste ano foram requeridas 1.408 falências, com média diária de 82,8 documentos na comparação com 1.625 em fevereiro de 2003, com 81,2. De acordo com o levantamento, o volume de concordatas requeridas em fevereiro deste ano cresceu 57,1%. Já o de concordatas deferidas teve alta de 166,7% no período em relação a fevereiro de 2003. No acumulado deste ano, esse resultado (concordatas requeridas) apresentou acréscimo de 25% na comparação com janeiro a fevereiro de 2003. O total de concordatas requeridas foi de 64 nos dois primeiros meses do ano passado. No caso das deferidas, foram 60 concordatas no primeiro bimestre de 2004, ante 33 em igual período de 2003 - uma alta de 81,8%.

Agencia Estado,

26 Março 2004 | 14h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.