Índice de preços ao produtor dos EUA sobe em janeiro

O Índice de Preços ao Produtor (PPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, que mede a inflação no atacado, subiu 0,8% em janeiro na comparação com dezembro, informou hoje o Departamento de Trabalho norte-americano. A alta foi maior que a de 0,3% prevista por analistas. Na comparação com janeiro de 2008, o PPI, no entanto, caiu 1% no mês passado. O núcleo do PPI, que exclui as variações de preços de alimentos e energia, avançou 0,4% em janeiro ante dezembro, superando a previsão dos analistas de alta de 0,1%. Na comparação com janeiro do ano passado, o índice subiu 4,2%. O aumento dos preços no atacado em janeiro ante dezembro foi praticamente generalizado entre os setores. Os preços de energia, por exemplo, subiram 3,7%, liderados por um aumento de 15% das cotações da gasolina. Os preços dos carros de passeio subiram 0,3%, enquanto os de comunicação e equipamentos relacionados aumentaram 1,3%. Em contraste, os preços dos alimentos recuaram 0,4% e os preços de bens intermediários recuaram 0,7%. Auxílio-desempregoO número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego nos Estados Unidos foi de 627 mil na semana encerrada no último sábado (dia 14), após ajustes sazonais, mesmo número da semana anterior, informou o mesmo departamento. Economistas esperavam queda de um mil pedidos em relação ao dado original da semana anterior, de 623 mil pedidos, que foi revisado.A média móvel de pedidos feitos em quatro semanas - calculada para suavizar a volatilidade do dado - subiu 10,5 mil em relação à média revisada da semana anterior, para 619 mil, o maior nível desde novembro de 1982. Na semana encerrada no sábado anterior (dia 7), o número total de norte-americanos que recebiam auxílio-desemprego subiu 170 mil para 4,987 milhões. Trata-se do maior nível desde que o governo começou a acompanhar os pedidos, em 1967. A taxa de desemprego referente aos trabalhadores com direito ao benefício e que estão recebendo o auxílio-desemprego subiu 0,1 ponto porcentual para 3,7%, a maior desde julho de 1983. Nos EUA, as normas sobre o auxílio-desemprego variam de Estado para Estado e nem todos os desempregados têm direito ao benefício. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.