Índice de sucesso da Petrobrás no pré-sal foi de 100%, diz Graça

Segundo a presidente da estatal, política exploratória privilegiou locações de menor risco e destinou mais recursos para o desenvolvimento da produção 

Irany Tereza, da Agência Estado,

09 de agosto de 2013 | 20h01

O índice total de sucesso exploratório da Petrobrás no primeiro semestre foi de 70%, sendo 100% no pré-sal, informou a presidente da companhia, Graça Foster. Para ela, o alto porcentual reflete "a política exploratória implantada desde o ano passado, que privilegia as locações de menor risco e destina mais recursos para as atividades de desenvolvimento da produção".

"As despesas com prospecção e perfuração (poços secos) foram de R$ 1,2 bilhão no 2T13, 63% menores que os R$ 3,3 bilhões do mesmo período de 2012. Nenhum dos 13 poços secos contabilizados no 2T13 é do pré-sal", fez questão de frisar a executiva.

Graça destacou "excelentes níveis de eficiência" em refino,com destaque para a maior produção de gasolina (+48 mbpd) e diesel (+16 mbpd)e o nível de utilização de capacidade das refinarias, que chegou a 99%.

Ela destacou também a área de Gás e Energia, que "sustentou o excepcional desempenho já apresentado nos últimos trimestres", atendendo a uma demanda de gás natural média de 89 milhões m3/dia e uma geração termelétrica de 8,2 GW/médio.

Investimentos. Os investimentos da Petrobrás somaram R$ 24,344 bilhões no segundo trimestre de 2013, montante 17,9% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. Desde o começo do ano, a Petrobrás investiu R$ 44,113 bilhões, expansão de 14,1% em relação ao primeiro semestre de 2012. A estatal tem planos de investir R$ 97,754 bilhões no acumulado deste ano.

A maior parte dos investimentos da empresa no primeiro semestre foi direcionada à área de Exploração e Produção (E&P), com o equivalente a R$ 24,049 bilhões (54% do total). O aporte na área representa uma expansão de 17,7% em relação ao volume do mesmo período de 2012.

Na área de Abastecimento, a segunda mais importante da companhia, o investimento cresceu 9% na mesma base comparativa, para R$ 14,453 bilhões (33% do total) 

Tudo o que sabemos sobre:
Petrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.