Índice do custo de vida em SP fecha maio em 0,39%

O índice do custo de vida (ICV) para o município de São Paulo desacelerou para 0,39% em maio ante variação de 0,50% registrado em abril. Os cálculos foram divulgados hoje pelo Departamento Intersindical de Estatística de Estudos Socio-Econômicos (Dieese). Segundo o departamento, o aumento de preços no mês passado foi influenciado principalmente pela elevação dos produtos alimentícios, atingindo de forma mais intensa as famílias de menor poder aquisitivo. O grupo subiu 0,85%; saúde 0,56%; habitação 0,22%; vestuário 0,24% e transportes -0,20%.ICV acumula alta de 2,97% até maioO ICV acumula uma alta de 2,97% de janeiro a maio de 2005. Em 12 meses, a taxa acumulada é de 8,46% e a taxa anual média nestes primeiros cinco meses é de 7,95%, bem superior às taxa anual média do primeiro semestre de 2004, de 5,83%.Estes números deixaram a coordenadora do ICV-Dieese, Cornélia Nogueira Porto, em alerta. "Com os números que temos em mãos, já dá para ficarmos preocupados, já que o governo espera uma taxa de inflação de aproximadamente 5% ao final do ano e mais da metade deste porcentual já foi registrado antes do primeiro semestre terminar", disse a economista. Para ela, é necessária uma diminuição dos preços até o final do ano.Segundo Cornélia, o movimento registrado no início deste ano foi diferente dos de anos anteriores, quando a inflação apresentava um pico em janeiro e depois desacelerava ao longo do primeiro semestre. "Neste ano, os preços mantiveram-se no mesmo patamar do primeiro mês do ano, fazendo com que a taxa anual permaneça elevada", afirmou. Na avaliação da coordenadora, o que ocorreu foi uma alteração para cima do patamar inflacionário no período.Ainda que o quadro deste ano esteja pior do que o observado no ano passado, Cornélia prevê, no entanto, que a taxa de inflação de junho fique igual ou menor do que a registrada em janeiro (0,39%). "A menos que haja impacto dos preços da telefonia, pois ainda não sabemos como o governo vai negociar os reajustes das tarifas", observou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.