Índice europeu de ações tem mínima em 7 semanas

As bolsas de valores da Europa fecharam em queda nesta quarta-feira, com o principal índice da região fechando no menor patamar em sete semanas, após uma fraca demanda por bônus alemães em um leilão levantar novas preocupações com o contágio da crise e dados fracos no setor industrial chinês se somarem a temores sobre o débil crescimento global.

REUTERS

23 de novembro de 2011 | 15h05

O índice FTSEurofirst 300 de ações europeias caiu 1,1 por cento, para 904 pontos, menor nível desde 4 de outubro.

O fraco leilão na Alemanha alimentou temores sobre o impacto da crise da região sobre Berlim, com os investidores preocupados sobre os crescentes custos atrelados à crise.

Richard Batty, estrategista do Standard Life Investments, disse que a fraca demanda na operação foi uma surpresa.

"Está agora em chegando a um ponto em que os investidores estão ficando preocupados sobre a Alemanha estar pagando mais da conta da zona do euro. O país está sendo impactado pelo mesmo sentimento negativo de outras partes da zona do euro."

Os papéis do concessor de empréstimos belga KBC recuaram 8,7 por cento, sendo uma das principais quedas do dia, depois de o prêmio de rendimento do bônus de dez anos do governo do país sobre os da Alemanha atingirem novo recorde de alta desde a era do euro.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em baixa de 1,29 por cento, a 5.139 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX recuou 1,44 por cento, para 5.457 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 caiu 1,68 por cento, para 2.822 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib encerrou em baixa de 2,59 por cento, a 13.915 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou desvalorização de 2,09 por cento, para 7.739 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 teve perda de 0,65 por cento, para 5.229 pontos.

(Por Joanne Frearson)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAEUROPAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.