Reuters
Reuters

Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Bolsas da Europa fecham em queda com escândalo da Volks

Acusada de fraudar testes de emissões de poluentes, ações da montadora alemã tiveram mais um dia de perdas e desabaram 19%

O Estado de S. Paulo

22 de setembro de 2015 | 14h21

As bolsas europeias fecharam em forte queda nesta terça-feira devido a preocupações com a economia global, com o papel da Volkswagen desabando às mínimas em quatro anos e pressionando todo o setor automotivo, com investidores avaliando as implicações de um escândalo relacionado a emissões de poluentes.

A ação da maior montadora da Europa, que caiu quase 20% na segunda-feira após a companhia admitir que fraudou um teste de emissões nos Estados Unidos, regrediu mais 19%, com forte volume de negócios, conforme as investigações se espalharam para a Ásia e a Europa. Em Frankfurt, o índice DAX caiu 3,80%, a 9.570 pontos. O índice FTSEurofirst 300, que reúne os principais papéis do contiennte, caiu 3,27%, a 1.365 pontos. 

A montadora anunciou que até 11 milhões de veículos seus em todo o mundo poderão ser afetados por um software supostamente usado para burlar testes de poluentes e anunciou planos de fazer uma provisão contra perdas de 6,5 bilhões de euros (US$ 7,27 bilhões) neste trimestre, o que forçará a empresa a reduzir sua projeção de lucro para este ano.

Além disso, a Coreia do Sul afirmou que irá lançar uma investigação contra os carros movidos à diesel da Volkswagen, enquanto o governo dos EUA declarou que irá expandir sua investigação para outras empresas. 

A filial brasileira da montadora informou que não irá se pronunciar sobre o tema. Por meio da assessoria de imprensa, a montadora apenas reforçou posicionamento mundial da marca em que reconhece a instalação irregular do software que altera os motores para torná-los mais eficientes durante testes de emissões de gases e pede desculpas pelo erro.

Outras montadoras. As ações da empresa despencaram após o comunicado, fechando em queda de 26,2%. Outras fabricantes de automóveis também tiveram forte recuo em seus papéis, como a Daimler (-5,77%) e a BMW (-5,68%). 

A Bolsa de Paris também foi afetada pelo baixo desempenho das ações de empresas do setor automotivo. Os papéis da Peugeot recuaram 8,76% e da Renault caíram 7,12%. O índice CAC-40 fechou em queda diária de 3,42%, aos 4.442,12 pontos.   

Em Londres, as ações da Glencore lideraram as baixas (-10,63%). O índice FTSE-100 caiu 2,83% nesta terça-feira, para 5.935,84 pontos, a primeira vez abaixo dos 6.000 pontos desde agosto.  

O índice espanhol IBEX-35 baixou 3,11% hoje, para 9.550,20 pontos, e o português PSI-20 recuou 2,40%, para 5.011,14 pontos. Já o índice FTSE-MIB, de Milão, perdeu 3,33%, para 21.031,80 pontos. 

(Com informações da Dow Jones e Reuters)

Tudo o que sabemos sobre:
bolsaseuropavolkswagen

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.