Índice europeu fecha estável, Crédit Agricole despenca

O principal índice das ações européiasfechou praticamente estável nesta terça-feira, depois quesinais de resistência no varejo norte-americano não foramsuficientes para compensar o temor de inflação que afetou asações britânicas e a queda dos papéis de bancos. De acordo com dados preliminares, o índice FTSEurofirst300, teve ocilação negativa de 0,03 por cento, para 1.346pontos. O maior banco de varejo da França, o Crédit Agricole,despencou 5,6 por cento após divulgar um aumento de capital de5,9 bilhões de euros em meio ao anúncio de novas baixascontábeis relacionadas ao crédito de alto risco. O setor de energia perdeu força e devolveu parte da altarecente. A Repsol YPF recuou 0,7 por cento, e a Royal DutchShell caiu 0,4 por cento. As ações ganharam algum estímulo quando o Departamento deComércio dos Estados Unidos divulgou dados que mostraram quedafraca das vendas gerais no varejo no país. Tirando osautomóveis, as vendas mostraram mais resistência do que muitosanalistas esperavam. Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em baixa de0,14 por cento, a 6.211 pontos. Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,34 por cento, para 7.060pontos. Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,45 por cento, para 4.998pontos. Em MILÃO, o índice Mibtel encerrou em alta de 0,19 porcento, a 25.832 pontos. Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou queda de 0,27 porcento, para 14.016 pontos. Em LISBOA, o índice PSI20 teve valorização de 0,2 porcento, para 11.142 pontos. (Reportagem de Blaise Robinson)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.