Índice europeu tem mínima em 1 semana por recuo de bancos

As bolsas de valores europeias fecharam nesta quarta-feira no menor nível em mais de uma semana, pressionadas pelo mau desempenho de ações do setor financeiro, uma vez que a confiança do mercado se deteriorou depois que a Standard and Poor's previu uma perspectiva negativa para a Espanha.

REUTERS

09 de dezembro de 2009 | 15h12

O índice FTSEurofirst 300, que mede a oscilação dos principais papéis do continente, recuou 0,88 por cento, a 995 pontos, menor patamar de encerramento desde 30 de novembro. O indicador ainda acumula alta de 20 por cento neste ano e soma avanço de 54 por cento desde que atingiu a mínima recorde no início de março.

A revisão na perspectiva pela agência de classificação de risco e um alerta de que a Espanha corre risco de ter sua nota de crédito rebaixada se o governo não realizar medidas enérgicas vieram um dia depois de a Fitch Ratings cortar a nota da Grécia para o nível mais baixo entre os países da zona do euro por preocupações com as finanças públicas gregas.

"Todos os investidores estão extremamente vigilantes nesse momento, e você não pode culpá-los. A Grécia foi rebaixada ontem e com o desemprego na Espanha atingindo cerca de 16 por cento a perspectiva para a economia espanhola é muito ruim", disse David Buik, sócio da BGC Partners, em Londres.

"De fato, isso não é nenhuma surpresa e abre caminho para que aconteça com outros países", acrescentou.

As ações do setor financeiro estiveram entre as maiores perdedoras, com o índice europeu de bancos DJ STOXX cedendo 1,6 por cento.

Santander, maior banco da Espanha, caiu 4,1 por cento, enquanto BBVA perdeu 4 por cento. Entre outros bancos europeus, Barclays, Royal Bank of Scotland, UBS, Credit Suisse, Deutsche Bank Commerzbank e Deutsche Postbank cederam entre 0,6 e 3,3 por cento.

Os papéis da Telekom Austria derreteram 14 por cento, após o grupo dizer que seu balanço cairá no próximo ano, uma vez que os consumidores deixaram de lado seu serviço de telefonia fixa doméstica e pressões sobre os preços tanto de reguladores quanto de concorrentes continuaram elevadas.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em baixa de 0,37 por cento, a 5.203 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,72 por cento, para 5.647 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,74 por cento, a 3.757 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,75 por cento, para 22.236 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 retrocedeu 2,27 por cento, a 11.541 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 encerrou em queda de 2,09 por cento, para 8.059 pontos.

(Por Atul Prakash)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAEUROPAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.