Issei Kato/Reuters
Issei Kato/Reuters

Índice japonês atinge pico de 15 anos e Hong Kong alcança máxima de 7 anos

No Japão, investidores esperam que o banco central amplie o programa de compra de títulos, pois a inflação voltou a zero

REUTERS

08 de abril de 2015 | 07h52

O índice japonês Nikkei alcançou máximas de quinze anos nesta quarta-feira, 8, e o mercado de Hong Kong saltou para máximas de sete anos em meio a especulação sobre mais estímulos na China e no Japão, como também acerca do início adiado de qualquer aperto do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos.

O banco central do Japão decepcionou alguns ao encerrar uma reunião de política monetária de dois dias sem qualquer nova medida em sua já maciça campanha de compra de títulos. No entanto, com a inflação de volta a zero, há muitas conversas de que o banco central pode ampliar o programa em sua próxima reunião em 30 de abril.

Investidores estavam encorajados o bastante para impulsionar o Nikkei 0,8%. A alta levou o índice para patamares alcançados pela última vez em abril de 2000 e era vista como altista do ponto de vista técnico, com o patamar dos 20 mil pontos sendo o óbvio próximo alvo.

Outros marcos se espalharam pela região, com o índice Hang Seng de Hong Kong quebrando uma importante resistência e registrando máximas desde meados de 2008.

A bolsa de Xangai alcançou picos de sete anos, e às 7h47 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão avançava 1,9%, batendo uma máxima desde meados de setembro. O índice sul-coreano também avançou e marcou uma máxima de sete meses.

Em Tóquio, o índice Nikkei avançou 0,76%, a 19.789 pontos.Em Hong Kong, o índice local subiu 3,80%, a 26.236 pontos. Já em Xangai, o índice ganhou 0,86% e fechou em 3.995 pontos. O índice da bolsa de Seul teve alta de 0,60%, a 2.059 pontos. Em Taiwan, o índice registrou baixa de 0,73%, a 9.571 pontos.Em Cingapura, o índice teve queda de 0,14%, a 3.460 pontos. Na Austrália, o índice da bolsa de Sydney avançou 0,59%, a 5.960 pontos.

Mais conteúdo sobre:
açõesbolsaJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.