Índice não sustenta 50 mil pontos,fecha em queda pós-Fed

O mercado acionário brasileiro não sustentou o Ibovespa acima dos 50 mil pontos e fechou em queda, com o enfraquecimento em Nova York após o comunicado do Federal Reserve, divulgado com amanutenção do juro norte-americano entre zero e 0,25 por cento.

PAULA LAIER, REUTERS

24 de junho de 2009 | 18h30

O Ibovespa terminou o dia em queda de 0,28 por cento, aos 49.672 pontos, após subir 1,9 por cento, a 50.758 pontos, na máxima do dia. O volume financeiro do pregão totalizou 5,35 bilhões.

O comunicado do Fed não trouxe grandes novidades, mas a observação de que a recessão da economia norte-americana está arrefecendo e a sinalização de que diminuiu sua preocupação com uma possível espiral de queda dos preços abriram espaço para especulações sobre alta de juros nos Estados Unidos.

Na visão do estrategista da CM Capital Markets, Marcelo Portilho, o Fed parece gradualmente mais otimista com a economia. Após o comunicado, o mercado atribui a probabilidade de 17 por cento para alta do juro dos Fed Funds na reunião de setembro, notou o profissional.

Isso recolocou as taxas dos Treasuries em trajetória ascendente e reverteu os ganhos nos índices acionários Dow Jones e S&P 500. No fechamento, contudo, o S&P 500 retomou o campo positivo com alta de 0,65 por cento, mas o Dow persistiu em queda, de 0,28 por cento.

O vice-presidente-executivo de tesouraria do banco WestLB no Brasil, Ures Folchini, disse que a reação refletiu o típico "sobe no boato e realiza no fato". Para ele, o mercado passa por um processo de reavaliação sobre a retomada do crescimento das economias, o que limita movimentos mais fortes.

Mais cedo, a melhora na perspectiva da economia global pela primeira vez em dois anos pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) proporcionaou alívio às principais praças financeiras internacionais.

O desempenho negativo das blue chips Petrobras e Vale também pesou. No caso da estatal, os papéis foram afetados pelo recuo ao redor de 1 por cento dos preços do petróleo, com a preferencial caindo 1,27 por cento, a 31 reais. A preferencial da Vale cedeu 2,35 por cento, a 29,48 reais.

Na cena corporativa, repercutiu nas mesas de operações o anúncio da VisaNet de que eliminou 19 corretoras de sua oferta inicial de ações, uma das maiores operações do tipo no mundo dos últimos meses.

De acordo com um profissional no mercado, em razão da forte demanda pelo IPO, isso não deve afetar a operação em si, mas muitos investidores podem não conseguir refazer o cadastro em outra corretora a tempo de participar. O prazo para a reserva encerrava nesta quarta-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
BOVESPAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.