Índice recua 1,3% por Líbia e comentários do BCE

As bolsas de valores da Europa tiveram forte queda nesta segunda-feira, após os conflitos na Líbia alimentarem preocupações sobre o suprimento de energia e reduzirem o apetite por risco do investidor, com as ações italianas entre as mais golpeadas.

REUTERS

21 de fevereiro de 2011 | 14h10

O aumento da violência entre manifestantes e o governo do líder autocrático líbio Muammar Gaddafi no fim de semana fizeram as ações europeias recuarem, embora o volume de negócios tenha sido fraco devido ao feriado nos Estados Unidos.

Novas advertências sobre inflação feitas por autoridades do Banco Central Europeu (BCE) somaram-se ao tom negativo, após dados sobre a atividade do setor privado da zona do euro e a confiança empresarial alemã indicarem uma retomada, mas com pressões inflacionárias.

O índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 fechou em baixa de 1,3 por cento, aos 1.171 pontos, depois de encerrar na sexta-feira em leve queda. No entanto, o indicador continua com alta acumulada de 4,4 por cento neste ano.

O volume de negócios representou 88 por cento da média de 30 dias.

O "otimismo elevado que se acumulou nas últimas semanas" retrocedeu diante das tensões crescentes na Líbia e no Oriente Médio e também de comentários do BCE, disse Tammo Greetfeld, estrategista do UniCredit.

O petróleo do tipo Brent alcançou a máxima em dois anos e meio devido aos conflitos na Líbia, o que desfavoreceu as ações, com o grupo italiano de petróleo e gás natural ENI e a refinaria austríaca OMV prejudicados devido à exposição que têm ao país africano.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em baixa de 1,12 por cento, a 6.014 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 1,41 por cento, para 7.321 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 1,44 por cento, para 4.097 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 3,59 por cento, para 22.230 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 retrocedeu 2,33 por cento, para 10.810 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 encerrou em queda de 2,17 por cento, para 7.855 pontos.

(Reportagem de Simon Jessop)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAEUROPAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.