finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Índices dos EUA estendem perdas da semana

As ações dos Estados Unidos fecharam em queda nesta quinta-feira pelo terceiro dia consecutivo após dados indicarem desaceleração do crescimento dos Estados Unidos, enquanto sinais técnicos elevaram temores sobre a força do mercado.

CAROLINE VALETKEVITCH, Reuters

18 de abril de 2013 | 20h19

O índice Dow Jones recuou 0,56 por cento, para 14.537 pontos. O índice Standard & Poor's 500 perdeu 0,67 por cento, para 1.541 pontos, chegando a cair 1 por cento no intradia. O termômetro de tecnologia Nasdaq fechou em baixa de 1,2 por cento, para 3.166 pontos.

O S&P 500 encerrou abaixo de sua média móvel de 50 dias, de 1.543 pontos, pela primeira vez neste ano. Esse recuo fortaleceu opiniões de que o recente rali do mercado está perdendo fôlego, particularmente após dois fortes declínios diários mais cedo na semana.

Os índices Nasdaq 100 e Russell 2000 também fecharam abaixo de suas médias móveis em 50 dias nesta semana, somando-se à pressão técnica generalizada no mercado.

O setor tecnológico liderou as perdas do dia, com ações do eBay perdendo 5,8 por cento para 52,82 dólares um dia após a companhia divulgar seus resultados e apresentar uma projeção decepcionante para o segundo trimestre. O índice do setor tecnológico do S&P 500 recuou 1,4 por cento.

A ação da Apple ampliou as perdas de quarta-feira, quando o papel chegou a recuar para abaixo de 400 dólares pela primeira vez desde dezembro de 2011. A ação fechou com baixa de 2,7 por cento, para 392,05 dólares.

O índice de volatilidade CBOE, um termômetro de ansiedade em Wall Street, ganhou 6,4 por cento para 17,56 pontos. O VIX acumulou alta de aproximadamente 46 por cento até agora nesta semana. O índice permanece abaixo de suas recentes altas, mas os ganhos podem sinalizar uma mudança na tendência do mercado.

As ações registraram um rali na maior parte do ano devido à visão de que a economia norte-americana estaria se fortalecendo e que o Federal Reserve, banco central norte-americano, iria manter seus estímulos em vigor.

Mas dados recentes sobre a economia foram menos otimistas. Na quarta-feira, indicadores mostraram que a atividade industrial na região do meio-Atlântico desacelerou em abril e um índice dos principais indicadores, que sinaliza a atividade econômica dos EUA, caiu em março pela primeira vez em sete meses.

Tudo o que sabemos sobre:
WALLSTFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.