Índices na Ásia fecham em alta com balanços positivos nos EUA

As bolsas na Ásia subiram nesta quinta-feira, seguindo o comportamento dos mercados europeus e norte-americanos na véspera, depois que fortes resultados corporativos impulsionaram a confiança econômica.

REUTERS

21 de abril de 2011 | 09h32

O balanço da Apple Inc. e perspectivas otimistas de outros manufatureiros norte-americanos permitiram que a bolsa de Tóquio fechasse em alta pelo segundo dia consecutivo, mas sinais mistos de cadeias de fornecimento mantiveram os investidores cautelosos antes da temporada de balanços no Japão.

O terremoto e tsunami de 11 de março que devastaram o nordeste do Japão prejudicaram a produção em muitas fábricas, que ainda enfrentam escassez de peças e cortes de energia.

Yaskawa Electric, um dos primeiros grandes manufatureiros do Japão a divulgar previsões, disse que estava incerto sobre se conseguiria manter produção total em maio e junho.

Mas o diretor de operações da Apple, Tim Cook, disse que não vê problemas não-solucionáveis para a Apple relacionados ao desastre japonês.

Em Tóquio, o índice Nikkei subiu 0,8 por cento, para 9.685 pontos.

"Investidores seguem cautelosos sobre as previsões das empresas para este ano fiscal, mas como elas estão mantendo as expectativas baixas, o mercado pode não cair fortemente a não ser que as empresas realmente surpreendam com os números", comentou Yumi Nishimura, analista sênior de mercado da Daiwa Securities.

O índice da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão subia 1,30 por cento às 9h25 (horário de Brasília). Os setores de tecnologia e de recursos naturais ganhavam mais de 1 por cento.

O índice de Seul subiu 1,32 por cento. Em Hong Kong, o mercado ganhou 1,01 por cento. a bolsa de Taiwan avançou 1,64 por cento, enquanto o índice referencial de Xangai teve alta de 0,65 por cento.

Cingapura encerrou com valorização de 0,91 por cento e Sydney fechou com ganho de 1,13 por cento.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSASASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.