Renato Cerqueira/Futura Press
Renato Cerqueira/Futura Press

Indício de fraude derruba papéis da Via Varejo

Comitê de investigação encontrou irregularidades que podem ter impacto de até R$ 1,4 bilhão nos resultados do quarto trimestre

Renato Carvalho, O Estado de S.Paulo

13 de dezembro de 2019 | 00h10

A investigação independente realizada por um comitê nos balanços da Via Varejo encontrou indícios de irregularidades que, segundo a própria companhia, podem ter impacto nos resultados do quarto trimestre de 2019 entre R$ 1,2 bilhão e R$ 1,4 bilhão. O patrimônio líquido também será afetado, em um valor que ficará entre R$ 800 milhões e R$ 940 milhões.

Após o anúncio, feito por fato relevante, os papéis da empresa, que estavam próximos de fechar em alta de mais de 8%, sofreram uma reviravolta no ajuste do fechamento do pregão e tiveram queda de 3,10%, a R$ 10. 

Dona das marcas Casas Bahia, Ponto Frio e Extra.com, a empresa informou que a segunda fase da investigação encontrou indícios de fraude contábil com manipulação da provisão trabalhista e diferimento indevido na baixa de ativos e contabilização de passivos. 

Em novembro, a companhia anunciou que uma primeira fase da investigação não havia encontrado indícios de irregularidades. Agora, o Comitê de Investigação determinou a realização de uma terceira fase.

As irregularidades levaram a companhia a anunciar ajustes que podem ter impacto entre R$ 1,05 bilhão e R$ 1,2 bilhão nos resultados, mas foram identificados outros R$ 200 milhões referentes a créditos fiscais e outras provisões. A Via Varejo afirma ainda que foram identificadas oportunidades com créditos fiscais de R$ 600 milhões em PIS/Cofins e ICMS.

As informações prestadas pela Via Varejo se referem à gestão anterior da companhia. Em junho deste ano, o Grupo Pão de Açúcar vendeu sua participação na empresa para a família Klein, fundadora das Casas Bahia, e um “pool” de fundos.

Em comunicado, o Grupo Pão de Açúcar afirmou que nem a empresa nem os membros do conselho de administração indicados por ela tomaram conhecimento de qualquer irregularidade nas demonstrações financeiras, “tendo sido as mesmas sempre e uniformemente aprovadas por todos os órgãos e membros de controle e de administração regularmente constituídos”.

Tudo o que sabemos sobre:
Via Varejo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.