Divulgação
Divulgação

Indonésia ameaça cancelar compra de aviões da Embraer em represália a Dilma

Em declaração a um jornal local, vice-presidente Jusuf Kalla diz que medida pode ser adotada após presidente do Brasil recusar credenciais de embaixador, em protesto contra ameaça de execução de traficante brasileiro

Lucas Hirata, O Estado de S. Paulo

24 Fevereiro 2015 | 10h19

 

O vice-presidente da Indonésia, Jusuf Kalla, afirmou que o governo está reavaliando as compras de 16 unidades dos caças brasileiros EMB-314 Super Tucano, de acordo com o jornal local Jakarta Post. Os comentários foram feitos após a presidente Dilma Rousseff decidir na semana passada não receber as credenciais do embaixador da Indonésia no Brasil, Toto Riyanto.

As ações da Embraer abriram em queda de 0,57% após a notícia.

O problema diplomático ocorre no momento em que o Brasil tenta negociar a transferência de Rodrigo Gularte, de 42 anos, preso por tráfico de drogas e condenado à morte para um hospital psiquiátrico.

A confusão diplomática entre o Brasil e a Indonésia começou porque a presidente Dilma Rousseff havia feito um apelo ao governo do país asiático para que suspendesse a execução de brasileiros condenados por tráfico de drogas.

No mês passado Marcos Archer foi fuzilado sem que os apelos do Brasil fossem levados em conta. O governo reiterou o pedido de perdão para Rodrigo Gularte, alegando que ele precisa ser transferido para um hospital psiquiátrico. A lei da Indonésia determina que os condenados tenham plena consciência de seu crime e da punição, antes de serem executados.

De acordo com o jornal Jakarta Post, o comandante-geral do Exército da Indonésia, Moeldoko, se recusou a comentar o tema, mas afirmou que não permitirá que questões políticas intervenham na cooperação militar entre os dois países, embora a aproximação dependa de decisões governamentais.

Moeldoko acrescentou que, apesar de os laços militares entre os dois países permanecerem em vigor, o Exército sempre estará pronto para defender a soberania da Indonésia.

Mais conteúdo sobre:
Embraer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.