Indústria aposta em demanda maior no mercado interno em 2005

O desaquecimento no crescimento das vendas do varejo não preocupa a indústria, que continua apostando no aumento da demanda interna como estímulo para um novo aumento da produção em 2005. Por outro lado, a calibragem da política monetária será fundamental para definir o ritmo da produção industrial neste ano, segundo alerta o economista Paulo Mol, da Confederação Nacional da Indústria (CNI).Segundo ele, os empresários industriais entraram neste ano confiantes que, assim como ocorreu em 2004, o aquecimento do mercado doméstico se juntará às exportações como impulso de aumento de ritmo da produção industrial. Mol lembrou que o ano passado foi o primeiro em que o mercado doméstico impulsionou a atividade da indústria, após puxar para baixo o setor em 2002 e 2003, quando as exportações foram o único fator que evitou uma queda maior da produção.Para o economista, a única variável que poderá comprometer o aquecimento da demanda esperado pela indústria para 2005 é a política monetária. Segundo ele, os empresários do setor esperam que a alta dos juros não seja forte ou se prolongue no tempo mas, caso essa expectativa seja frustrada, é uma incógnita o que ocorrerá com a demanda interna e, em conseqüência, com a atividade industrial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.