Indústria argentina está 10 anos atrás da nossa, diz Ermírio

A indústria instalada na Argentina sofreu um sucateamento muito grande e perdeu por inteiro sua competitividade, estando hoje, pelo menos, 10 anos atrasada em relação a indústria brasileira, disse o empresário Antonio Ermírio de Moraes, superintendente do Grupo Votorantim, ao comentar as medidas que o governo Argentino deseja aprovar no Congresso. Ele destacou que a desvalorização da moeda é uma atitude correta. ?É uma tentativa de consertar o que a dupla Menem/Cavallo fez nos últimos anos, com a conversibilidade de 1 peso valendo 1 dólar. Foi um erro muito grande, de muita presunção".Ermírio entende que o governo argentino tem de lutar para recuperar a indústria do país, o que deve demorar alguns anos. ?Pois terá de buscar uma melhoria da produtividade, para ter competitividade com os seus produtos. Foi o que fizemos com a indústria brasileira, sempre buscando mais produtividade".Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.