Rodrigo Felix/Estadão
Rodrigo Felix/Estadão

Indústria automotiva demitiu 4,9 mil pessoas entre janeiro e abril

Segundo dados da Anfavea, produção de veículos caiu 14,5% em abril na comparação com março

Igor Gadelha, O Estado de S. Paulo

07 Maio 2015 | 12h26


SÃO PAULO - Com a crise pela qual passa, a indústria automobilística soma 4,9 mil demissões em 2015, entre janeiro e abril. Segundo dados divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), somente no mês passado o setor eliminou 1.239 vagas.

A indústria automobilística encerrou o quarto mês do ano com 139.580 empregados, 0,9% a menos do que em março e 9,5% a menos do que o registrado no mesmo mês do ano passado.

Produção. A produção de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus no mercado brasileiro em abril caiu 14,5% na comparação com março e recuou 21,7% ante o mesmo mês do ano passado.

No quarto mês do ano, foram produzidos 217.089 veículos no País. Com o resultado, a produção acumula queda de 17,5% no primeiro quadrimestre, em relação a igual período de 2014.

Estoque. Nos pátios das montadoras e concessionárias, o estoque total de veículos aumentou de 360,4 mil em março para 367,2 mil unidades em abril. Com o crescimento, o estoque total de veículos em abril era suficiente para 50 dias de vendas, ante 49 dias no mês anterior.

A maior parte do estoque até abril estava concentrado nas concessionárias, onde havia 235,8 mil veículos encalhados (equivalente a 32 dias de vendas), número menor do que as 255,8 mil unidades estocadas até março nas lojas (35 dias). Entre janeiro e abril, a concessionárias já demitiram 12 mil pessoas.

Nas fábricas, o estoque até abril era de 131,4 mil veículos (18 dias), maior do que as 104,6 mil unidades estocadas em março (14 dias).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.