Indústria automotiva já eliminou 10,2 mil vagas em 2015, diz Anfavea

Setor terá em setembro 27,4 mil funcionários afastados das fábricas por meio de lay-off

Igor Gadelha, O Estado de S. Paulo

04 Setembro 2015 | 12h43

SÃO PAULO - A indústria automobilística brasileira eliminou 1,421 mil vagas em agosto, divulgou a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Após as recentes demissões, as montadoras encerraram o oitavo mês do ano com 134,312 mil empregados, queda de 1% na comparação com julho e recuo de 9,8% ante o mesmo mês do ano passado. Com o resultado de agosto, a indústria automotiva já demitiu 10,2 mil empregados em 2015.

Apenas o segmento de autoveículos registrou retração de 0,8% no número de empregados em agosto na comparação mensal, ao totalizar 118.294 funcionários. Em relação a agosto do ano passado, a queda foi de 8,1%. Já o segmento de máquinas agrícolas registrou recuos de 3,2% no número de empregados ante julho e de 20,5% na variação interanual, ao encerrar agosto com 16.018 funcionários.

Lay-off. A indústria automotiva brasileira terá, em setembro deste ano, 27,4 mil funcionários afastados das fábricas por meio de lay-off (suspensão temporária dos contratos), férias individuais e coletivas, licença remunerada, dentre outros. O número representa cerca 20,5% do total de trabalhadores que o setor empregava no fim de agosto (134,3 mil empregados).

O presidente da Anfavea, Luiz Moan, explicou que o afastamento faz parte das medidas adotadas pelas montadoras para ajustar os níveis de estoques ao baixo volume de vendas de veículos novos. O executivo destacou que o número de 27,4 mil empregados afastados não contabiliza eventuais adesões de montadoras ao Programa de Proteção ao Emprego (PPE), que prevê redução da jornada de trabalho, com redução salarial proporcional.

Em agosto, o estoque total de veículos nos pátios das concessionárias e das montadoras aumentou de 345,6 mil em julho para 357,8 mil unidades em agosto, segundo dados da Anfavea. Com o crescimento, o estoque total de veículos no oitavo mês do ano era suficiente para 52 dias de vendas, período maior do que os 50 dias em julho (considerando o ritmo de vendas de agosto). O setor considera ideal um estoque equivalente a 30 dias de vendas.

A maior parte do estoque de veículos novos até agosto estava concentrada nas concessionárias, onde havia 207,9 mil veículos encalhados (equivalente a 30 dias de vendas), número maior do que as 206,9 mil unidades estocadas em julho nas lojas (30 dias). Nas fábricas, o estoque até o mês passado era de 149,9 mil veículos (22 dias), maior do que as 138,7 mil unidades estocadas até julho (20 dias de vendas).

Mais conteúdo sobre:
indústriaautomóveisAnfavea

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.